Guia completo com o que fazer em Santiago no Chile de dia, de noite, faça chuva ou faça sol e dicas de como chegar, como circular, quantos dias ficar e muito mais!

Santiago é a capital do Chile e a maior cidade do país, sendo considerada centro financeiro e importante destino turístico, visto que também é a porta de entrada no país para destinos mais distantes como o deserto do Atacama, Lagos Andinos e a Patagônia Chilena, por exemplo. Além de linda, Santiago é uma cidade fácil de chegar e circular e conta com muitas opções de atrações para todos os gostos.

Neste guia completo vamos compartilhar tudo o que você precisa saber para planejar sua viagem para Santiago, desde onde fica, como chegar, que moeda levar, até o que fazer de dia, de noite, com chuva ou no inverno.


Por que visitar Santiago, Chile

Confira os 7 principais motivos para você visitar Santiago no Chile:

  1. Ao se aproximar de Santiago via avião, o próprio piloto vai avisar para olhar pela janela e eis o primeiro motivo: Cordilheira dos Andes. Um visual maravilhoso e que pode ser visto o tempo todo de Santiago mesmo, basta olhar para o horizonte ou de algum dos mirantes da cidade. Aliás, os mirantes são algumas das inúmeras atrações de Santiago, sendo os mais famosos o Cerro Santa Lucía e o Cerro San Cristóbal, que pode ser visitado com um Teleférico.
  2. Por ser um país vizinho do Brasil, os voos são rápidos, cerca de três horas de duração saindo de São Paulo, e sempre há promoções.
  3. É muito fácil andar pela cidade, que é em sua maior parte plana, e possui um transporte público eficiente. Santiago é sem dúvidas muito bem preparada para turistas.
  4. Falando em andar, o Centro Histórico de Santiago é uma atração à parte, por sua arquitetura, museus, calçadões e troca da guarda no Palácio de La Moneda o tornam um ponto fácil de visitar, além da maioria dos city tours gratuitos saírem de lá. 
  5. O Chile é famoso pela qualidade dos seus vinhos e há diversas vinícolas próximas a Santiago, inclusive, é possível visitar a Concha Y Toro de metrô.
  6. Em pouco mais de uma hora é possível chegar ao litoral, visitar Viña Del Mar e Valparaíso em um bate-volta saindo de Santiago.
  7. Também é possível fazer um bate-volta rumo aos parques ao redor da cidade praticar esqui, snowboard ou simplesmente brincar na neve.


Não se esqueça de contratar um seguro viagem!
Descubra aqui o porque recomendamos o seguro viagem World Nomads.


O que você precisa saber sobre Santiago no Chile

Onde fica Santiago, Chile?

A cidade de Santiago fica no Chile, na América do Sul. Embora o Chile não faça fronteira com o Brasil, assim como Ecuador, sua proximidade territorial facilita o turismo de brasileiros pela cidade.

Onde fica Santiago no mapa:
onde fica Santiago Chile no Mapa

Como chegar em Santiago?

Em Santiago há somente um aeroporto, o Aeroporto Internacional Arturo Merino Benitez (IATA: SCL), e para chegar até ele, saindo de São Paulo, é possível pegar um voo de apenas 3 horas de duração com uma dessas cias aéreas: Latam Airlines, Sky Airline, Aerolineas Argentinas, Gol Linhas Aéreas, Aeromexico, Air Canada e KLM.

Brasileiros precisam de visto para ir para Santiago?

Brasileiros não precisam de visto e nem de passaporte para visitar Santiago no Chile, basta portar ao menos um RG que tenha sido emitido a menos de 10 anos.

Qual moeda levar para Santiago?

O Peso Chileno (sigla CLP) é a moeda oficial em Santiago e pode ser encontrado com facilidade nas casas de câmbio no Brasil, mas a melhor cotação neste caso será realizar a troca no próprio país. Em Santiago há uma maior concentração de casas de câmbio na Rua Augustinas, região central, o que facilita a comparação de valores das cotações. O ideal é levar uma pequena quantia para gastos iniciais e trocar o restante no destino. Dólar e Real também são aceitos em alguns lugares.

Como é o clima em Santiago do Chile?

O clima em Santiago do Chile é classificado como Mediterrâneo: estações definidas com verões secos e amenos e invernos bem frios e chuvosos.

Clima em Santiago:
clima em santiago chile

Quando ir para Santiago no Chile?

A melhor época para visitar Santiago varia de acordo com o objetivo do viajante.
A alta temporada em Santiago é no inverno. Embora não neve na cidade em si, neva nas montanhas em sua volta, então as estações de esqui das proximidades ficam branquinhas e recebem um número expressivo de turistas.
A primavera vai de setembro a dezembro, com dias quentes e noites mais frias, sendo uma época agradável para visitar atrações que não abrem no inverno. Quanto mais próximo de dezembro, mais a temperatura sobe, isso porque logo vem o verão.
O verão em Santiago é relativamente quente para um local onde as temperaturas podem chegar a zero, mas quase não há chuva. Ideal para quem quer apreciar vinícolas e praias próximas.
Após o verão temos o outono, uma estação linda com paisagens diferentes nos parques, mas com uma variação maior de temperatura durante o dia e, dependendo do ano, a temporada de esqui pode iniciar já no final dessa estação. Para quem gosta de viajar para locais mais frios mas sem neve, este é o período ideal.

Quantos dias ficar em Santiago?

Para conseguir visitar os principais pontos turísticos de Santiago e arredores, o ideal seria ficar pelo menos de 4 a 5 dias, tenha em mente que as atrações com neve e algumas vinícolas precisam de um dia inteiro, pois ficam nos arredores da cidade.

Santiago é uma cidade segura?

Normalmente quando viajamos deixamos um pouco de lado a preocupação do dia a dia, mas apesar de Santiago ser considerada segura, é uma cidade com mais de 5 milhões de habitantes e como qualquer outra cidade grande, vale ter atenção a sua segurança.
O golpe comum de taxista é entregar uma nota de valor alto esperando o troco e ser confrontado como se tivesse entregue uma nota falsa ou então uma nota de valor menor, procure entregar trocado ou segurar seu dinheiro até ver o troco na mão dele. Outra dica é perguntar o preço antes de entrar, para ter uma estimativa e não cair no golpe do taxímetro adulterado.
Os furtos podem ocorrer com mais frequência nos transportes públicos, evite horários de pico, quando fica fácil esbarrar e furtar devido à quantidade de pessoas, também é sempre bom manter seus pertences na sua frente, como bolsa ou mochila. Isso vale também para o seu copo, ande sempre com ele na mão e na sua vista, além de jamais aceitar bebida de outras pessoas.

O que levar para Santiago?

Os itens variam conforme a estação. No verão as roupas e acessórios podem ser mais leves, mas é sempre bom levar um casaco para a noite ou início da manhã. Caso vá fazer alguma trilha, não esqueça das roupas confortáveis e do calçado específico. Se você viajar para Santiago no inverno, o melhor é levar roupas e acessórios para neve, se vestir no sistema de camadas e usar tecidos impermeáveis.

Como circular em Santiago

Utilizar o transporte público é uma boa maneira de conhecer o destino, a cidade conta com um uma malha de metrô, trem e ônibus muito boa e seu sistema é integrado, ou seja, com um cartão recarregável pode-se utilizar diferentes meios de locomoção pagando um valor menor que a tarifa cheia entre eles.

Outra opção são os City Tours, que são passeios a pé por diversos pontos de interesse e com muita informação local. Em geral são gratuitos mas ao final é normal dar uma quantia em dinheiro para o guia de turismo caso tenha gostado do passeio.

Santiago também conta com motoristas de aplicativo, além de táxis. Um adendo: se for utilizar táxi, combine a taxa antes e procure sempre dar o valor certo. Infelizmente é comum o golpe de taxistas mal intencionados. Caso prefira alugar um carro, você pode alugar no próprio aeroporto ou em diversos pontos da cidade. Faça seu orçamento aqui.

Por ser uma cidade turística, é fácil encontrar informes de agências nas hospedagens para contratação desde pacotes de passeios até a transfers para determinadas atrações.



O que fazer em Santiago, Chile

Santiago tem muitas opções de atrações tanto dentro da cidade quanto com passeios de bate e volta nos arredores. Conheça os principais e aproveite para montar o seu roteiro.

Plaza de Armas e Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana de Santiago no Chile
Interior da Catedral metropolitana de Santiago
Foto: Elaine Villatoro

A principal praça de Santiago é a Plaza de Armas, é considerada o marco zero da cidade pois é o local onde foi fundada, em 1541. Esta praça conta com muitas árvores, estátuas e construções históricas em volta, uma delas é a Catedral Metropolitana, de 1748, belíssima e rica em detalhes por todos os lados o que a torna um lugar ainda mais interessante a ser visitado.


Mercado Central

Centolla Caranguejo no Mercado Central de Santiago
Caranguejo gigante no Mercado Central de Santiago
Foto: Elaine Villatoro

Na rua San Pablo, próximo à Plaza de Armas, encontra-se o Mercado Central de Santiago, lá os principais produtos são peixes e frutos do mar mas você também pode encontrar pimentas e temperos prontos. Neste mercado também há variedade de restaurantes e o famoso prato típico de Santiago, a centolla, uma espécie de caranguejo gigante, mas prepare-se para o assédio dos vendedores e garçons, a abordagem aos turistas é constante.


Museu de Arte Pré-Colombiana

Também próximo à Plaza de Armas, há o Museu de Arte Pré-Colombiana, e sinceramente é um museu que vale muito a pena conhecer. Possui um ótimo e muito bem preservado acervo, pelo qual é possível entender melhor os costumes e cultura dos antigos povos que viveram na América Central e do Sul. São três andares e a visita é bem didática, de fácil entendimento. A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.


Museu Nacional de História Natural

Ainda no centro de Santiago, o Museu Nacional de História Natural conta a história da fauna e flora do país, incluindo a Ilha de Páscoa, apresentando até réplicas de animais que habitavam a região antigamente, sendo o grande destaque o esqueleto de uma baleia e o corpo liofilizado do menino de Cerro el Plomo, uma criança de 8 anos oferecida em sacrifício há mais de 500 anos atrás. A entrada é gratuita.


Palácio de La Moneda

Uma das atrações mais visitadas de Santiago é o Palácio de La Moneda, que foi projetado para ser a Casa da Moeda e atualmente é a sede da Presidência da República do Chile. O Palácio de La Moneda, que foi palco de alguns dos muitos acontecimentos históricos do país, pode ser visitado via excursão guiada, gratuita. O ponto alto é assistir a troca da guarda, composta pelo exército chileno, realmente é um show à parte.


Teleférico de Santiago

Um dos passeios mais esperados é ir ao teleférico de Santiago, uma das atrações mais antigas do Parque Metropolitano. O teleférico possui 46 cabines com capacidade para 6 pessoas e com suporte para bicicleta para quem quiser andar pelo Cerro San Cristóbal (estação Cumbre) que é o destino final dele, após passar pelas estações Tapuhue (acesso à piscina pública) e Oasis (saída do parque mais próxima ao Shopping Costanera center.


Cerro San Cristóbal

Cerro San Cristobal Santiago Chile
Cerro San Cristobal em Santiago, Chile
Foto: Elaine Villatoro

O Cerro San Cristóbal é o ponto mais alto da cidade de Santiago e fica dentro do Parque Metropolitano, logo, um mirante natural com seus 300 m de altura que pode ser acessado a pé ou de bicicleta por uma trilha, de carro, teleférico ou funicular. Além da vista, o parque possui diversas atrações, sendo as principais o Santuário da Imaculada Conceição no ponto mais alto, piscinas públicas, Jardim Japonês e o Anfiteatro Mirador Pablo Neruda com seus muros em pedra para eventos públicos. O acesso é gratuito para quem vai a pé ou de bicicleta.


La Chascona

La Chascona, a casa-museu de Pablo Neruda, é visita obrigatória para quem gosta de cultura, poesia e histórias de amor. Fica no Bairro Bellavista, aos pés do Cerro San Cristóbal. A casa-museu guarda, além de objetos pessoais do poeta, uma coleção de artefatos africanos e um acervo de obras de artistas. La Chascona significa, em língua quechua, ’emaranhada/descabelada’, em referência à amante de Pablo que viveu com ele, por ter os cabelos ruivos e ‘revoltos’.


Sky Costanera

Detentor do título de mirante mais alto da América Latina, o Sky Costanera se destaca na paisagem de Santiago. O mirante fica no topo da Gran Torre Santiago, que faz parte do complexo onde está o Costanera Center Mall, e proporciona uma vista de 360º da cidade a 300 metros de altura, tendo legendas nas janelas de vidro referente aos lugares que estão sendo visualizados. Ingressos vendidos apenas na bilheteria ou antecipadamente através de uma agência de turismo.


Cerro Santa Lucía

Entrada do Cerro Santa Lucia na cidade de Santiago no Chile
Entrada do Cerro Santa Lucia na cidade de Santiago, Chile
Foto: Elaine Villatoro

Subir este monte de 70 metros de altura no meio de Santiago vai exigir fôlego nas escadas mas, a vista do Cerro Santa Lucía vale a pena. Localizado entre as estações de metrô Santa Lucía e Universidade Católica, é um parque muito bonito com construções datadas a partir de 1872 e ótimo para quem gosta de tirar belas fotos. Esta também é uma atração gratuita.


Museo de la Memoria y los Derechos Humanos

Inaugurado em 2010, o Museu da Memória e dos Direitos Humanos possui onze salas distribuídas em três andares que, através de fotos, vídeos, cartas, testemunhos e materiais jornalísticos contam como foi o período da ditadura no país. Uma visita significativa e emocionante que convida para reflexão dos direitos humanos. Entrada gratuita.


Centro Cultural Gabriela Mistral

O Centro Cultural Gabriela Mistral (GAM) é mais um dos prédios que ‘contam história’ em Santiago, por diversas alterações nos cenários político-sociais do país. Após um incêndio em 2006, foi reformado e devolvido à população como centro cultural em 2010. A praça central já é um convite para respirar cultura, com vitrais coloridos e uma curiosa obra de um peixe gigante pendurada no teto. O GAM sedia teatros, danças, eventos culturais e coleções de arte permanentes e provisórias, que podem ser acompanhadas pela programação do local. O acesso ao prédio, BiblioGAM, Sala de Artes Visuais e Sala de Arte Popular Americana é gratuito.


Barrio Lastarria

O lado boêmio de Santiago pode ser conhecido no Barrio Lastarria tanto à tarde quanto de noite, fica próximo ao Cerro Santa Lucía e também pode ser acessado por uma passagem lateral do Centro Cultural GAM. Como a arquitetura das construções foram preservadas, andar pelo bairro dá a sensação de estar na Santiago do passado. A principal rua desse bairro é a Calle José Victorino Lastarria onde se concentram cafeterias, bares, galerias, um cinema e restaurantes para qualquer paladar. Muito pode ser visto por aqui, desde murais e grafites até artistas de rua, e também uma feirinha de artesanatos, livros, antiguidades e lembrancinhas.


Passeios próximos a Santiago

Além das atrações na cidade, existem passeios próximos a Santiago que são viáveis devido à possibilidade de fazer um bate e volta sem prejudicar a experiência justamente pela distância.


Valparaíso

Valparaíso é uma cidade portuária a 120 km de Santiago, dentre as atrações locais, destacam o bairro histórico com casarios coloridos de zinco, que foram tombadas como patrimônio pela Unesco, passeios com ascensores ou funiculares que proporcionam ótimas vistas do mar, mercado de artesanato, uma das três casas de Pablo Neruda: a Casa La Sebastiana, ladeiras repletas de grafites coloridos e charmosos restaurantes. Algumas pessoas conjugam Valparaíso e Viña del Mar no mesmo dia.


Viña del Mar

Praia em Vina del Mar no Chile
Praia em Viña del Mar no Chile
Foto: Elaine Villatoro

Ao lado de Valparaíso, está Viña del Mar, esta cidade litorânea que oferece bem mais do que suas praias de águas geladas. São restaurantes especializados em peixes e frutos do mar, Cassino, Jardim Botânico, Museus, um deles com uma estátua Moai da Ilha de Páscoa em frente – o único fora da ilha -, Parque Quinta Vergara com seus jardins, museu interativo e Palácio que foi residência do fundador da cidade, Relógio de Flores e até um castelo, o Castelo Wulff, voltado para exposições artísticas.


Cajón del Maipo

A Região de Cajón del Maipo é formada por pequenas cidades, como a de San José de Maipo, que cresce em volta da Praça principal com uma igreja, só que cercada pela cordilheira, para onde olhar a paisagem é linda.  É possível realizar trekkings, cavalgadas, entre outras atividades pela região, também é uma parada estratégica para esticar as pernas, comer algo e conhecer um pouco do lugar antes de chegar em Embalse El Yeso.


Embalse el Yeso – A Represa

Embalse el Yeso fica a 2.500 metros de altitude e é uma represa que recebe o degelo das montanhas à sua volta e abastece Cajón del Maipo e toda a cidade de Santiago.

Dependendo da luz, a água fica verde esmeralda ou um azul maravilhoso. A água represada forma um espelho das montanhas em volta com seus picos cheios de neve ainda.


Termas de Colina

Em meio à Cordilheira dos Andes, no mesmo vale de Embalse el Yeso, existe um oásis chamado Termas de Colina – ou Baños Colina – com suas 7 piscinas de águas termais que variam entre 30ºC a 60ºC, devido a atividade vulcânica da região. Possui uma estrutura básica, sem lanchonetes ou restaurantes, mas certamente vale a visita seja para relaxar nas piscinas com vista para as montanhas, ver o pôr do sol e/ou acampar.


Valle Nevado

Valle Nevado é a estação de esqui mais famosa entre os turistas, devido a proximidade com Santiago e uma grande infraestrutura no local, tanto para aprender e praticar esqui, snowboard e se hospedar. Sim ,é possível se hospedar em dos hotéis que ficam lá dentro e ter acesso desde restaurantes, bares, a minimercado e piscinas.


Parque Farellones

Para chegar ao Parque Farellones, são 40 curvas fechadas montanha acima, fica um pouco antes de Valle Nevado. A paisagem no caminho e no próprio parque são lindíssimas.

Neste parque, além de esquiar, é possível fazer snowboard e participar de inúmeras atividades para neve, como por exemplo trenó, tirolesa, andar de bicicleta, descer na neve com bóias em grupo ou sozinho, entre outros. A compra do ingresso antecipado com a agência faz toda a diferença para agilizar a entrada.


Portillo

A estação de esqui Portillo fica em Los Andes, cerca de 160 km de Santiago e, por ser um pouco mais distante em comparação às outras estações, é ideal para quem prefere locais menos movimentados. Possui uma boa estrutura e 35 pistas que ficam abertas entre Junho e Setembro.


Cordilheira dos Andes

Uma das maiores cadeias de montanhas do mundo passa por Santiago e, como já dito anteriormente, a Cordilheira dos Andes é possível de ser visualizada tanto durante o vôo de chegada quanto pelos mirantes na própria cidade: Cerros Santa Lucía e San Cristóbal e do Sky Costanera. Também pode ser acessada pelas estações de esqui nos arredores da capital chilena durante o inverno ou, quando estão sem neve para outras atividades como passeios de bicicleta e cavalgadas.


Vinícolas em Santiago e Região

Vinicolas proximas a Santiago Chile

É praticamente impossível não pensar em vinho quando se fala do Chile e as diversas vinícolas em Santiago e região são a prova de que fabricar vinhos faz parte da cultura local. Algumas são mais próximas e mais famosas, outras, mais exclusivas mas igualmente excelentes para qualquer amante da bebida ou não.



Undurraga

A bela Undurraga é uma vinícola que vai surpreender por possuir uma sala onde você pode sentir todos os possíveis aromas existentes em um vinho e dependendo do período da visita, até participar do processo de produção, além claro, da degustação de vinhos. A vinícola de 1855, ainda é administrada pela família fundadora.


Santa Rita

Fundada em 1880, Santa Rita é uma vinícola que mantém o alto padrão das uvas desde seu surgimento e está ligada às guerras da independência do Chile, por isso é considerada monumento nacional. Indispensável a excursão com guia para conhecer todos os detalhes, como por exemplo, dos 120 soldados que se esconderam por lá durante a guerra. São 9 tipos de passeios disponíveis em diversos idiomas, inclusive português.


Concha Y Toro

Concha y Toro - uma das vinícolas mais visitadas em Santiago e região
Elaine em frente a Concha y Toro

A vinícola Concha y Toro é a mais visitada de Santiago, é possível chegar via transporte público tranquilamente. Com guias em Inglês, Espanhol ou Português que vão te levar para passear entre as adegas, inclusive a famosa Casillero del Diablo, e degustação de vinhos pelo caminho.


Alyan Sunset

Localizada no Valle del Maipo, a uma hora de Santiago, a vinícola Alyan é menos conhecida entre os turistas, o que deixa a visita ainda mais especial. São os próprios proprietários que acompanham o tour desta vinícola boutique desde os vinhedos, construções e bodega, com degustação de vinhos e refeição na varanda. Por ser um passeio exclusivo, não está inserido no turismo de massa, sendo possível encontrar este e outros passeios para diversas vinícolas na agência 321 Chile, que é especializada em turismo de experiência e enoturismo.


O que fazer em Santiago à noite

Aqui estão algumas dicas de o que fazer em Santiago à noite: o Pátio Bellavista é uma ótima opção tanto para o dia quanto para a noite, são diversas opções de bares e restaurantes, entre eles o Bar S33W70. Outras opções de bares são o The Clinic, o Ópera Catedral, Room 09 ou Flannery’s. Para baladas as mais conhecidas são a Whisky Blue, La Urracas e Club Chocolate.


O que fazer em Santiago com chuva

Museo de Bellas Artes Santiago Chile - uma das coisas para fazer em Santiago com chuva

O que não falta são opções de coisas para fazer em Santiago com chuva: visitar e almoçar no mercado central, visitar um Museu: de Arte Pré Colombiana, Interativo Mirador, Bellas Artes ou Nacional de História Natural, fazer um tour guiado na Casa de La Moneda e até umas comprinhas no Shopping Costanera ou no Mall Sport.


O que fazer em Santiago no Verão

Algumas sugestões com o que fazer em Santiago no verão: city tour, visitar vinícolas e suas colheitas, relaxar nas piscinas naturais em Termas de Colina, ver Santiago do alto do Cerro Santa Lucía ou Cerro San Cristóbal e também aproveitar as piscinas lá de cima, conhecer as praias em Viña del Mar e Valparaíso.  


O que fazer em Santiago no Inverno

Há diversas opções do que fazer em Santiago no inverno, praticamente todas as atrações estão abertas mas o destaque fica para as atividades que envolvem neve, como praticar esqui, snowboard e brincar na neve em uma das estações de esqui, visitar a represa Embalse el Yeso que tem paisagens ainda mais bonitas com a neve. Além disso, nesse período você também pode fazer as visitas à vinícolas e seus tours com degustações, conhecer museus, mirantes e caminhar a pé em um city tour gratuito.


E aí, preparado para uma viagem ao Chile e sua capital? Caso tenha alguma dúvida, comente aqui. 🤗


Leia também: